Por que não Flash?

Por que Action Script 3.0?
E, por que afinal, projetos em Flash?

Essas perguntas frequentemente vêm de encontro às ideias que tenho para projetos de interatividade e design para a web.
São perguntas pequenas e muitas vezes sem argumentos concretos e com preconceitos monstruosos. Entretanto, as respostas poderiam vir em listas enormes, com inúmeras razões.
Arquivos pesados? Não mais, isso é lenda e carrega-se um arquivo ao mesmo tempo e fazendo o carregamento somente daquilo que o usuário necessitar, ou seja, traz para a tela somente as páginas chamadas pelo visitante.
Algumas páginas em HTML ou outras linguagens vão abrindo aos poucos e carregando as imagens aos poucos, ajustando-se aos poucos à página duramente, e isso seria o ideal para você (caso não seja um programador intransigente e obsoleto)?

E os motores de busca do Google? Ah, agora você pode estar pensando que isso faria eu desistir, pois os SWF não são vistos por eles!
ENGANO, o Google já indexa arquivos em SWF, até mesmo projetos inteiros em Flash (claro que com outros recursos de SEO e ActionScript).

Então, vamos aos fatos:
O Flash é excelente para projetos de interfaces visuais. Não conheço nada melhor, e sinceramente não acredito que haja ferramenta mais prática para criar animações multimídia, efeitos visuais e sites completos com uma identidade visual bem definida, centrada e focada no cliente, seguindo suas campanhas em impressos e publicidade paralela, onde o design domina, e não há ninguém nesse campo que aconselhe o cliente a programar o impresso melhor, pois o código de fundo não está no padrão…
Padrão? Pois é há algumas pessoas que a tudo querem transmitir padrões, e agradeço que haja para todo o sempre, a mãe sagrada diversidade, irmã do bom-senso e tia da informação.

Paralela à animação, utilizamos uma linguagem orientada a objetos, a ActionScript, linguagem baseada em ECMAScript, utilizada principalmente para construção de aplicações Internet rica (do inglês RIA – “Rich Internet Applications”). É executada em uma máquina virtual (AVM – “ActionScript Virtual Machine”, atualmente na versão 2) que está disponível no Flash Player (plug-in encontrado em navegadores web) e também no ambiente Adobe AIR.

A AS3 é muito parecida com Java, a diferença é que esta é muito pesada e lenta, e não possui uma interface gráfica padrão, poderosa quanto a do Flash, ficando evidentemente em vantagem a ActionScript. O Flash sempre foi rápido sabendo fazer o projeto da forma certa, e o fato é que mesmo um computador antigo consegue controlar várias animações na tela sem ficar lento e agora com a AS3 está muito mais veloz, refizeram a máquina virtual do Flash Player e adaptaram novas mudanças, que posteriormente posto aqui.

Enfim, quebre os modelos padrões, faça diferente…
Design é inovação, faça com designers!

2 Comments

  1. Flash é uma ótima ferramenta, tem layouts que seriam impossíveis de desenvolver sem ele. Bom que o google já consegue ler as páginas em flash, mais um ponto positivo para continuar usando o flash.

  2. Alexandre, discordar é uma coisa, não ter argumentos é outra coisa bem diferente.
    Em nosso post, há inúmeros argumentos para projetos em Flash e tu não tem argumentos para discordar, apenas solta o verbo sem educação alguma.
    Nosso portfólio e nossos clientes ratificam nossa opinião e estratégia e, não construímos apenas projetos em Flash, tudo depende da necessiade do projeto e do cliente.
    E, outra coisa, vai cuidar do teu HORRÍVEL site de vendas, absurdamente poluído e sem sentido antes de querer levantar alguma bandeira.
    E, ratificando, para nós o Flash é uma solução que contempla muitas possibilidades aliada a outras tecnologias como Ajax e PHP as quais usamos em nossos projetos então, te aconselho a estudar o que vais falar ou comentar pra não falar merda sem sentido algum e sem argumento justificável.

Deixe uma resposta