As mídias sociais ajudando a escalada no Google

Links são as veias da web. Cerca de 70% do algoritmo do Google é baseado em links e, quando mais on-topic seus links forem, melhor. Sendo assim, você precisa de uma estratégia muito bem focada para aparecer nas buscas – ignorar a recente revolução das mídias sociais fica por sua conta e risco.

“Em essência, o que o Google faz quando mede links é buscar por votos. Quando uma pessoa faz um link para um site, está dizendo que gosta dele e vota nele”, explica o engenheiro de SEO Jaamit Durrani. “Quanto mais influente for aquela pessoa, mais forte é o link. Antes você tentava fazer com que um pequeno grupo de donos de sites fizessem links para você, mas agora temos uma enorme quantidade de conteúdo gerado por usuários, blogs e perfis. Crie relações com eles, ofereça um bom conteúdo para ser linkado e terá uma rede inteira de pessoas dentro de um nicho, que você pode se conectar.”

google-midias-sociais


O jogo é lento
Você não entra em um bar no meio do nada esperando conhecer todos no local: é preciso se apresentar a um de cada vez e talvez voltar mais umas duas noites. Não é instantâneo.
É preciso interagir nas mídias sociais, ser frequente, oferecer conteúdo no MySpace, no Twitter e até mesmo no Orkut…
Há também supostos mágicos que não conhecem o funcionamento do Google e vendem o milagre de colocá-lo à frente sem saber que o mecanismo é engenhoso e muito criterioso, ou seja, burlar o Google pode ser um tiro fatal no próprio pé.
Uma equipe especializada no assunto pode tomar conta de um blog e uma outra equipe, de mídias sociais, agregando todos os conteúdos e linkando com o site principal tornando-o mensurável.
Enfim, o conhecimento na área é imprescindível.

Os balões da Sony
Um exemplo recente de trabalho focado em mídias sociais para alavancar acessos ao site principal foi o anúncio da Sony Bravia feito com balões em São Francisco, nos Estados Unidos. Foi um projeto gigante que atraiu muita atenção. 250 mil balões brilhantes e coloridos foram soltos em uma rua da cidade. Enquanto a empresa filmava tudo, pessoas na rua com celulares também gravavam o acontecimento. Contudo, em vez de a Sony tentar proibir a veiculação das imagens não-oficiais, como fez o pessoal da Scrabble no Facebook, ela procurou usar as gravações a seu favor. Depois do evento, ofereceu uma mini TV Bravia aos blogueiros que escreveram sobre o ataque dos balões coloridos e os levou para assistir às filmagens seguintes da campanha.
Antes desse comercial, a Samsung aparecia em primeiro no ranking de buscas mas, como resultado de adotar as mídias sociais para seu benefício, a Sony retomou o topo, já que muitas pessoas geraram links para o seu site. Links...

Reportagem original de Adam Stafford da agência Fresh Egg

Designers, o que de fato fazemos?

Quando conversamos com um cliente/parceiro, esse precisa entender que estamos oferecendo uma consultoria em design e, quando é indagado se podemos explorar outros conceitos criativos para o problema em questão além do proposto por ele, a resposta é um Não, algo está errado, pois não somos taxistas, somos consultores em design.

designers-o-q-fazemos


Você chega em uma fila de taxistas e pede para um levá-lo até sua casa. Tudo que tem a fazer é informar o destino e pagar a conta ao final da corrida. Seria uma solução direta e sem muitos compromissos. Contudo, o ideal seria ser atendido por um consultor em transportes. É preferível ter a oportunidade de explicar as necessidades a um consultor em transportes, pois há diversos compromissos, orçamento limitado e pouco tempo para chegar ao destino, assim, eu, gostaria que esse consultor me apresentasse a melhor solução. Poderia até apresentar algumas alternativas.

Essa analogia serve para mostrar que designers não devem ficar satisfeitos em apenas serem os “taxistas”, mas sim os consultores, para conduzir a uma solução correta, direta e com foco no mercado. Devemos ser os parceiros na solução de problemas.

Compartilhe responsabilidades, ande junto com o cliente/parceiro
Você vai ao médico, certo? Você poderia ser considerado um cliente para seu médico. Agendaria uma consulta e pagaria pelos seus serviços. Ele poderia dar uma receita para proporcionar um alívio imediato, mas que não resolveria o problema de saúde a longo prazo. Ele poderia ser um grande especialista, que conseque diagnosticar um problema mais complexo, a partir dos pequenos sintomas. Nesse caso, é necessário ser parceiro. É preciso confiar nele e fornecer todas as informações necessárias para a formulação do diagnóstico correto. Sem isso, o médico provavelmente não poderia indicar um tratamento preciso.

O mesmo acontece com projetos de design.

Precisamos desenvolver uma relação de confiança mútua, para nos tornarmos parceiros e não apenas prestadores de serviços. Com isso, conseguiremos realizar projetos maiores e mais criativos.

Os resultados serão muito mais significativos e duradouros, com o cliente/parceiro entendendo que ao contratar ou solicitar os serviços de um designer agência/stúdio, deve aceitar que contrata uma consultoria, um estudo de mercado com experiência e capacidades para transformar materiais gráficos ou virtuais em soluções visuais.

Sejamos consultores e nossos clientes, parceiros.

Bibliografia Selecionada:
Briefing: A Gestão do Projeto de Design

E, em 2012…

Enviamos para nossos especiais clientes, parceiros e amigos, uma singela lembrança, uma embalagem com itens que sugestionam ou desejam um 2012 diferente, onde cada item carrega consigo um significado especial.

final-2011

Dentro da embalagem vai um pingente de trevo de quatro folhas para fixarmos nossa fé em algo que fuja um pouco da racionalidade do mundo atual, às vezes é preciso acreditar.
Desejando que no próximo ano, haja muita criatividade, idéias e inovação, a vela simboliza essa ascensão à luz… E porque é imprescindível buscar o autoconhecimento, enviamos o espelho para poder ajudá-lo nessa busca.
Às vezes, é preciso uma pausa nesses dias tão corridos e, nada melhor que um bom livro e um marca-página, para poder parar e refletir não só na leitura como na vida. Há também, um envelope, para que em 2012, você possa reatar com alguém, escrever para uma pessoa distante ou apenas comunicar sua alegria a quem você quer bem.
Em 2012, também esperamos que perceba novas sensações, como ao degustar o delicioso chocolate que fizemos especialmente pra você, que assim comesse o ano experimentando novos sabores.

Por fim, nosso cartão e uma caneta da Odesign, para lembrar que como neste ano, sejamos em 2012 a solução em comunicação, design e interatividade para seu mundo.

Feliz Natal,
Um Novo Amanhã
E um 2012 repleto de conquistas
e oportunidades, diversas e únicas!

Samsung liderando o mercado de Smartphones

Smartphones: Samsung pode ultrapassar vendas da Apple e da Nokia

De acordo com o analista da empresa de pesquisas Strategy Analytics, Neil Mawston, a Samsung ultrapassou a Nokia e, provavelmente, também a Apple nas vendas globais de smartphones no segundo trimestre deste ano. Os resultados devem-se, principalmente, às vendas do Galaxy S II.
Em entrevista à Bloomberg, Mawston estimou que a Samsung comercializou entre 18 a 21 milhões de smartphones nos últimos três meses.

De acordo com dados já divulgados pela Nokia, no mesmo período, a empresa vendeu 16,7 milhões de smartphones. Enquanto a Apple comercializou 20,3 milhões de iPads, o que a coloca em primeiro ou segundo lugar no ranking, dependendo dos números oficiais que serão divulgados pela Samsung.

Na entrevista, Mawston informou que os produtos da linha Galaxy têm obtido excelentes resultados de vendas na maior parte dos países do mundo. “A Samsung tem chances razoáveis de ocupar a liderança neste trimestre se continuar a expandir a linha de produtos em mercados com alto crescimento, como China e Brasil”, acrescentou.

Além disso, os aparelhos da Sansung não bloqueiam aplicativos Flash, ou seja, mais uma derrota da Apple.

Fonte: Olhar Digital UOL