Café com design – ON ou OFF

Na chamada “era” da informação, você consegue dizer que está OFF, cujo significado em inglês é desligado ou fora? 

Imagem de Amostra do You Tube

Há algum tempo poderíamos dizer que éramos OFF. Existia uma separação. Hoje no entanto, não há mais barreiras entre o ON e o OFF, há uma integração, principalmente com a chegada da tecnologia móvel e o cenário das redes sociais. As mudanças são diárias e rápidas e nos tornamos ON e OFF ao mesmo tempo.

Perceba, junto com a gente, que temos muito mais possibilidades, nosso conhecimento se expandiu, abrangemos outras cabeças e pensamentos sem sair de onde estamos para acessar quaisquer informações e também onde quer que estejamos.

No mundo da comunicação, publicidade e marketing, a integração entre ON e OFF já é uma realidade muito mais percebida. As redes sociais comprovam isso diariamente, empresas e perfis pessoais desfilam pelos dois “mundos” e vivem a realidade da integração. Há quem diga que caminhamos para o fim do mundo offline e você, o que acha?

O que são leads

Atrair novos clientes sempre foi um dos maiores desafios de quaisquer empresas e toda estratégia, do marketing à construção de preços, tem o foco nos contatos capazes de se tornarem clientes. Isso, requer um estudo de público-alvo e do mercado para assim, criar campanhas de marketing focadas em atrair leads.

Leads qualificados

Mas então, vamos entender o que é lead

A palavra lead é hoje popular entre as empresas digitais, depois que começaram a tratar seus visitantes como clientes em potencial, criando estratégias para gerar contatos em verdadeiros clientes. Assim, lead é sinônimo de qualquer visitante que informe seus dados em troca de algo ou fazendo contato. A geração de leads é fundamental para o sucesso de sua empresa.

E os leads qualificados?

Não existe uma garantia de que um lead se transformará em um cliente ou mesmo que retornará ao seu site ou blog. Entretanto, um lead qualificado é aquele que chega considerando a compra do seu produto ou a contratação de seus serviços.

Saber quem são os leads qualificados, é importante para poder criar campanhas mais eficientes para captar a atenção, com ações e conteúdos que convençam esse lead qualificado de que você possui a melhor solução.

Geração de leads

O Marketing de conteúdo é uma das melhores estratégias para qualificar um lead, além de apresentar seu produto ou serviço, instruindo esses visitantes com informações relevantes e de seus interesses. Imagine campanhas (redes sociais) que não poluam a linha de visão desse possível contato, mas que comece uma conversa, ofereça a ele informações e conteúdo, para logo após, num funil de vendas, lhe apresentar produtos, serviços e soluções.

A Odesign tem a solução perfeita para sua empresa ter mais leads e vender mais, solicite maiores informações, entre em contato com a gente!

 

 

 

O que é então Marketing de Conteúdo

Muito tem se falado em Marketing de Conteúdo. Mas afinal, O QUE É Marketing de Conteúdo?

Marketing de Conteúdo é uma estratégia de Marketing para engajar um público definido, ou seja, um público que realmente possa vir a comprar seu produto ou serviço e se tornar cliente e consumidor.

O Marketing de Conteúdo não é novo, algumas empresas já descobriram há tempos, propagando pelo mundo off e mídias tradicionais experiências e particularidades que atingiam um determinado público, instigando nesse o ímpeto, interesse e posteriormente a compra.

odesign-marketing-conteudo

Hoje com a internet, ficou ainda mais importante essas ações, justamente porque as pessoas podem escolher os canais que acessarão mais facilmente, assim como entrar num site e simplesmente pular dele para um outro, seja por causa do design ou pelo conteúdo, diferente de tempos atrás onde ele estava obrigado a permanecer no intervalo da novela e absorvendo os anúncios. Outro dado a favor do Marketing de Conteúdo é que há um número enorme informação e pra aparecer, é necessário ter um conteúdo relevante e de qualidade, fazendo com que as pessoas sintam-se impactadas.

As empresas precisam compreender que simplesmente pagar por anúncios e forçar a visualização de uma propaganda, interrompendo uma navegação ou poluindo uma timeline é cada vez menos eficiente. Com o Marketing de Conteúdo você cria um relacionamento, alimentando um site, blog ou redes sociais com conteúdo relevante, seja a respeito do seu produto, estilo de vida ou até mesmo a solução de problemas que suas qualidades oferecem. Você está gerando assim, conteúdo interessante e que essas pessoas estão buscarão na internet, seja pelo mecanismo de busca do Google que vai achar seu blog ou site, seja pelo Facebook onde encontrarão seu conceito, identidade, conteúdos e histórias relevantes ou, pelo Youtube que ao procurar por um termo vão achar seu conteúdo, explicando ou oferecendo dicas essenciais, ajudando em eventuais dificuldades do usuário. Isso faz com que as pessoas cheguem até sua marca, empresa, produto ou serviço, criando uma credibilidade, confiança e preferência.

 

O Marketing de Conteúdo bem estruturado, segmentado e contínuo, gera fidelidade e faz com que pessoas indiquem, compartilhem e sugiram a outros amigos, fazendo com que esses terceiros, cheguem até você diretamente, estabelecendo assim um relacionamento e engajamento com base em conteúdos relevantes (pra um determinado público estrategicamente). A consequência é uma compra mais segura e que no final, irá custar bem menos pra você do que os anúncios em mídias tradicionais e online somente divulgando produto e serviços sem um conteúdo e uma história que agregue valor e gere confiança.

 

 

A vida após a propaganda de 30 segundos

O design não é mais algo apenas estilístico independente, incluído em um projeto, site ou serviço pouco antes dele ser entregue ao público ou ao marketing. A nova metodologia que está se formando em empresas e organizações ao redor do mundo faz o design recuar aos primeiros estágios da concepção desses projetos, sites ou serviços e avançar até os últimos momentos da implementação e além.

Permitir que os clientes escrevam o último capítulo da história é só mais um exemplo do design thinking em ação e a nova ordem.

FRANCE-INTERNET-TECHNOLOGY-LEWEB12

Observação e entendimento de um capítulo de Tim Brown, sobre o design thinking

Escolhendo a profissão

O que levar em consideração na hora de fazer uma escolha (talvez para o resto da vida) sem enlouquecer?

Para muitos é um desafio, um drama que começa lá na adolescência, quando ainda estamos estudando. A família pressiona de um lado, pai e mãe querem que o filho ou a filha sigam por caminhos que eles entendem ser o melhor, e há também o que os amigos entendem por melhor caminho, além de professores e até a mídia que, hora ou outra, menciona “as profissões” do futuro como soluções para um futuro estável.

Escolhendo a Profissão
Indo de encontro às indicações de outras pessoas, pense que hoje não há mais como induzir um jovem a estudar para fazer concursos, por exemplo, uma vez que o mercado mudou. Surgiram novas oportunidades de trabalho, e a Geração Y não se prende mais a comodismos ou opções engessadas que lhe entregam uma falsa estabilidade. Imagine então a Geração Z, que chegará ao mercado logo. Acabou a era dos “dereitos”, do “se encostar”, do trabalhar 30 anos numa mesma empresa. Isso passou, e o importante é ser útil, seja em qual área for. O profissional precisa agregar, estar lá para construir algo em que acredita, melhorando sua própria qualidade de vida e do meio onde vive.

Decidir o que fazer por toda a vida é intimidador para qualquer jovem. Há diversas técnicas para orientar adolescentes a escolher um caminho. Entretanto, são inúmeras as profissões, e as opções aumentaram ainda mais ultimamente, em diversos segmentos. Há hoje até profissão para testar games, os “Game Tester” que, por sinal, paga muito bem. Isso tudo pode embaralhar a cabeça do estudante, dificultando qualquer escolha.

A escolha deve seguir a emoção ou a razão? Não sabemos ao certo. Porém, deve-se focar naquilo que se gosta, em primeiro lugar. Pensar só no retorno financeiro, escolher uma profissão por acreditar que, com ela, ganharemos muito mais dinheiro, é errado e perigoso. Afinal, fazendo isso você pode acabar fazendo algo que não quer fazer por toda a sua vida, mas lembre-se sempre: essa escolha não precisa ser para o resto da vida. Às vezes é preciso mudar o foco, alterar a direção não é o caos, pode ser apenas uma reorganização. Assim, o fardo não parecerá ser tão pesado.

O próprio mercado muda, e amanhã poderão surgir novas oportunidades e profissões. Fazer o que se gosta é imperativo para alcançar sucesso. Não foque no que pode lhe dar mais dinheiro, nem tome por base outras pessoas e elimine profissões que você não gostaria de fazer, esse é um ótimo começo. Após essas análises, a escolha pode lhe parecer mais tranquila, o dinheiro e o lado financeiro serão consequências de uma boa escolha, com base naquilo que gostaria de fazer e no que tem capacidade para fazer.

Pense nisso. A melhor profissão para você nem sempre será aquela que possivelmente lhe pagará mais. Ganhar bem é realizar suas tarefas bem e, fazendo o que se gosta, é muito mais fácil ter sucesso.

Dica: Odesign
Ilustração: Márcio Rampi