A nova web na palma da mão

Com o mercado de smartphones e tablets crescendo, o web design passou por uma grande mudança na maneira de criação e interatividade. Segundo levantamento da IDC, as vendas de smartphones no Brasil em 2012 dispararam 78% em relação ao ano anterior. Com novas ideias e soluções surgindo, é necessário oferecer uma paisagem digital e focar também nos novos conceitos de navegação web.

Hoje, uma empresa precisa pensar seu conteúdo navegável também ao toque de um dedo, o usuário precisa ter uma experiência próxima do que teria no site oficial em casos onde não seja possível contemplar o mesmo conteúdo também para dispositivos móveis (vale um estudo de perfil e público-alvo), uma vez que queira levar seu conteúdo para um número maior de usuários sem dispositivos tão modernos, limitando assim o front-end do projeto e, criando uma área específica para informações mais necessárias aos visitantes de dispositivos móveis.

A regra do ‘menos é mais’ é uma tendência também para a internet hoje, seja mobile ou desktop. Porém, a eliminação da tecnologia Flash por exemplo, sendo substituída pelas animações jQuery, trouxe novos paradigmas e limites cada vez mais inalcançáveis na criação de um site. O céu é o limite e o horizonte é vasto para os profissionais que se habilitaram e realmente entendam as tecnologias como aliadas e não como único meio.

Windows 8 para tablets terá aparência diferente da nova versão para PCs

O presidente da Microsoft, Steve Ballmer, afirmou em janeiro, na abertura do Consumer Electronics Show 2011, que a nova versão do sistema operacional Windows será compatível não apenas com os computadores tradicionais, com arquitetura Intel, mas também com equipamentos mais leves, com processadores ARM e tela sensível ao toque. Mas embora PCs e tablets compartilhem as entranhas do Windows 8, cada tipo de aparelho poderá exibir uma “cara” diferente, mais adaptada ao formato do aparelho.

Segundo fontes ligadas à empresa de Redmond, a decisão da Microsoft de criar uma interface gráfica específica, e não um sistema operacional completamente independente para tablets, foi tomada com base na percepção da empresa de que o principal ativo da companhia é a onipresença do Windows — e do pacote Office — no ambiente corporativo.

“Acreditamos que o usuário vai querer fazer com o tablet tudo o que ele faz em seu computador no escritório”, afirmou, o vice-presidente sênior da divisão de comunicações móveis da Microsoft, Andy Lees, durante evento no Mobile World Congress de Barcelona. Por isso, segundo Lees, a empresa desistiu de simplesmente adaptar o Windows Phone 7, sistema operacional da empresa utilizado em telefones celulares e que será adotado pela Nokia, para a tela maior dos tablets.
A principal vantagem, do ponto de vista do consumidor, é que será possível utilizar, nos tablets, programas desenvolvidos para Windows. Isso não é possível, por exemplo, com o iPad, que não é compatível com aplicativos criados para computadores Mac.

Abordagem diferente

A estratégia adotada pelas maiores concorrentes da Microsoft -- a Apple, com o iPad, e o Google, dono do sistema Android -- é diferente. Na companhia de Steve Jobs, por exemplo, o iPhone até chegou a ser anunciado, em 2007, como um telefone rodando Mac OS X. Mas, quando chegou ao mercado, o que se viu foi um aparelho com sistema que bebia nas mesmas fontes -- ou seja, Unix -- que os computadores da Apple, mas sem compatibilidade com os programas feitos para a plataforma Mac OS X.

O Google também mantém linhas diferentes de desenvolvimento para computadores tradicionais e para tablets e celulares - embora, no caso da gigante das buscas, o jogo tenha se invertido, já que o sistema para PCs, o Chrome OS, é mais novo que o Android.

Continuando… Novo tablet da RIM deve chegar em abril no mercado

O anúncio oficial sobre o lançamento do Playbook ainda não foi feito pela RIM, mas, se confirmado, o tablet deve chegar às lojas dos Estados Unidos entre o final de março e início de abril, ou seja, estaria disponível antes mesmo do TouchPad da HP, anunciado nesta quarta-feira, 9, e com previsão de chegada marcada para “este verão”, algo entre junho e setembro.

Playbook

O Playbook terá tela de 7″, processador com dois núcleos, 1G de memória RAM, Flash 10.1, HTML5, duas câmeras – frontal de 3MP e traseira de 5MP – conectores HDMI e USB, Bluetooth, Wi-Fi e sistema operacional próprio. O tablet deve ser comercializado por US$ 499,99 para o modelo 16G. O valor é o mesmo oferecido pela Apple para o iPad com mesma capacidade, porém, diferentemente dos tablets da Apple é possível navegar em sites Flash, ficando a dica então.

Batalha entre os novos tablets

veja o que cada um tem a oferecer.

A apresentação de novos tablets durante o “Mobile World Congress”, em Barcelona, reafirma a força que os produtos equipados com o sistema Android terão no mercado.

Num primeiro olhar, o LG Optimus Pad (G-Slate), o novo Samsung Galaxy Tab 10.1 e o mais recente, o HTC Flyer, além do Motorola Xoom parecem similares em termos de funcionalidade. No entanto, ao investigá-los mais a fundo, você começa a perceber que os tablets têm mais diferenças do que se possa imaginar. Para notá-las, o site Droid Life fez uma comparação entre as características e os recursos de cada um:

tablets